Buscar
  • Opinião com Assinatura

Rémulo Marques 18/05/2020 - O Futebol Português não sabe viver sem uma caldeirada

Como já aqui referi, é um dado adquirido: O Futebol está mesmo de regresso. O tal do Futebol.


Na Alemanha já se jogou, e apesar das contingências a malta germânica, que por estes dias serve de tubo de ensaio do resto da Europa e do Mundo (quem diria, hein), lá vai dizendo que primeiro se estranha, mas depois entranha-se.


A bola saltou, as audiências televisivas bateram recordes e por isso pouco interessa a onda de lesões (quase uma dezena) nestes primeiros jogos. É o chamado mal necessário. Ou contingências de um bem maior. Do mal, o menos. Ou outra coisa qualquer do género. 

Por cá, contam-se os dias, as horas e os minutos para o dia 4 de Junho. Futebol Nascido a 4 de Junho. O pessoal das Terras do Tio Sam que nos desculpem, mas este passa a ser o verdadeiro 4 e passa a ser em Junho.

Desengane-se, porém, quem pensa que isto aqui no futebol português é só marcar uma data e siga. 


Calma que isto sem uma ou várias caldeiradas não vai lá.

O Marítimo não foi de modas. O Sr. Presidente Carlos Pereira avisou: Ou jogamos no "Caldeirão" dos Barreiros, ou é impugnação na certa. Isso dos 14 dias de Quarentena obrigatória para quem chega à Pérola do Atlântico não é para o Futebol. Isto é para andar. 

Chovem os argumentos: Direitos iguais. Estádio de Nível 1, o povo da Madeira não é menos que o do Continente... tenda armada, pois claro. E como se faz? Ok, a DGS, Governo, Liga, FPF, o pássaro da vizinha e o cão do porteiro dão parecer positivo. Não vamos agora deixar que esta caldeirada cause alguma indigestão desnecessária. 


Feito. 



Passo seguinte?


Como, na verdade, já está muito calor para Caldeirada, venha agora uma salada... à portuguesa, e mete Aves. 

O Marítimo bateu o pé, e o seu "Caldeirão" vai receber os jogos, pois claro, que tinha de receber. 


Agora o Aves faz a mesma coisa. Caso contrário, vocês não impugnaram,nós impugnamos. 


Eu impugno, tu impugnas, ele impugna, nós impugnamos, vos impugnais, eles impugnam. Assim dá para todos os gostos, vontades e feitios. 

Que interessa os problemas com a Estrela Costa, o dono chinês, os salários em atraso, etc, etc? Então o Marítimo pode (tenha ou não estádio de Nível 1, isso agora não vem ao caso), e o Aves não ia poder... Eu impugno, tu impugnas, ele impugna. 


E de impugnação em impugnação, mais caldeirada ou mais salada, mais umas bocas, mais uns atritos, alimentam-se mais umas páginas e mais uns comentários aqui e ali, que é urgente recuperar audiências. Guerrinhas, maledicências, suspeitas, etc. O Tal do Futebol português que, assim, faz esquecer rapidamente problemas maiores, como os do Campeonato de Portugal, que até já se falou de mais para o gosto de quem está habituado ao Quero, Posso e Mando sem grande escrutínio ou ruído. 


Venha daí o dia 4. Venha daí o tal do futebol, que há malta deste país que já não sabe viver sem uma impugnação, sem uma polémica, sem um árbitro ou um VAR para criticar, ou sem um "caldinho" mais ou  menos aprimorado. Já viram o que é obrigar certos comentadores de elite a falar do jogo? A falar mesmo de futebol? Oh pah, isso não se faz. 

Vai uma aposta sobre como vai ser a primeira semana pós-regresso da bolinha em Portugal? Aceitam-se sugestões culinárias.


Aquele abraço.

Rémulo Marques

18/05/2020





314 visualizações4 comentários
This site was designed with the
.com
website builder. Create your website today.
Start Now