top of page
Buscar

Rémulo Marques 11/05/2020 - Gladiadores F.C



Faço scroll no feed do Facebook, e detenho o meu olhar numa notícia sobre três infectados com Covid19 no Vitória de Guimarães. Num espaço de minutos já alguém me mandou por whatsapp mais uns links com a mesma situação no Moreirense, Famalicão e Benfica. Dizem-me ainda, algumas pessoas próximas a alguns clubes, que de certeza que nos próximos dias teremos mais casos positivos em mais clubes (se não na esmagadora maioria).


Por outro lado, assisto ao Sr. Primeiro-Ministro da Nação, Dr. António Costa, a desdobrar-se em encorajar o regresso e a importância do retomar da Primeira Liga. O Presidente do Sindicato dos Jogadores também e o Presidente da Liga diz numa reunião com os seus pares, pelo que entretanto foi possível apurar, que se "o futebol não regressar então podemos esperar pela bancarrota para muitos clubes". Quanto ao Sr. Presidente da FPF já disse tudo o que tinha a dizer. Sobre quase tudo... 


Treinadores como Pepa, Paulo Sérgio e José Gomes, e até jogadores, através das suas redes sociais, deixam claro que já não haverá qualquer verdade desportiva, que não existem as necessárias condições para o recomeço, que "estas" decisões são puramente económicas, puramente negócio.


Já li de tudo, ouvi de tudo. 

Mas também já ouvi muitos jogadores dizerem-me que têm medo. Sim, medo. Que têm medo de se infectar e de infectar os seus. 


Agora fala-se em ajustar protocolos, em mudar mais algumas coisas, em apertar mais outras mas... em jogar. Jogue-se. Atenção ao negócio, atenção à bancarrota. Atenção que daqui a pouco já ninguém quer ouvir os "paineleiros" gastos na sua bazófia e de ideias impregnadas de ódio pestilento. Há que retomar programas, discussões vãs, guerrilhas de trincheiras bacocas. É preciso vender o peixe. 


Assim é meus senhores. É o negócio da bola! É o negócio dos senhores da bola. 


O país anseia, o povo quer (mesmo não podendo ir aos estádios), o negócio quer, o negócio pode, o negócio manda. 


Há que jogar. Com infecções, sem infeccões, como tiver de ser, mas há que jogar. 


Parece ser uma decisão corajosa. Mas, a mim, só parece. De coragem tudo isto não tem absolutamente nada. Zero. 


Os jogadores esses sim, vão ter de ser homens de coragem. Eles e os homens e mulheres treinadores, e restantes membros dos imprescindíveis staff's que obrigatoriamente têm de estar num jogo de futebol. E para eles, a minha vénia. 


Eu sou daqueles que quando leio algo que é exactamente aquilo que penso não reescrevo por palavras minhas para fazer de conta que sou astuto e inteligente. Não gosto de me armar em "comentadeiro" ou em génio da lâmpada dos comentários. Se alguém o diz bem, eu subscrevo, partilho e cito (sempre). E sobre isto li um comentário que, no fundo, resume o que penso com grande qualidade. Foi escrito pelo meu Amigo Luís Aguilar, e aqui o deixo para memória e reflexão futura:


"Parece que andam a confundir profissionais de futebol com gladiadores da Roma Antiga: "Vai lá para dentro, joga, dá espectáculo, entretém. Se fores infectado ou infectares, problema teu, responsabilidade tua." Enquanto isso, cá em cima, nas bancadas, ou em casa, estão os reis disto tudo, a assistir calmamente e prontos para o discurso de ocasião: "Se correr bem, estamos todos de parabéns. Se correr mal, problema vosso." E quando é que os jogadores tomaram conhecimento desta ridícula condição? Ontem. Ou seja: os artistas principais são os últimos a saber o que outros andaram a decidir por eles."

PS - Deixo uma pergunta: Se e quando o futebol recomeçar, o Benfica passar o FC Porto na classificação, ou o Vitória ou o Famalicão passarem o Rio Ave, ou então o Portimonense trocar de lugar com o Paços e depois tiver mesmo de se voltar a interromper? Como ficam as coisas? Que classificação vale? Já se pensou nisso? Interessa pensar nisso? Ou é melhor dizer que se ficar toda a gente infectada, perde-se por falta de comparência?



Rémulo Marques

11/05/2020


381 visualizações7 comentários

Posts recentes

Ver tudo

7 Comments


João Santos
João Santos
May 12, 2020
Like

Jorge Mendes
Jorge Mendes
May 11, 2020

o bordel tem que continuar a funcionar, há muito dinheiro em jogo, as putas que são a razão do negócio.... que se lixem.

Like

Lino Camacho
May 11, 2020

Ninguém está preocupado com a saúde de quem quer que seja, nem com a verdade desportiva, apenas querem que o Carnide seja declarado campeão. seja como tiver que ser. Os três principais tentáculos do polvo, Presidentes da Liga e da Federação e o anfitrião da reunião onde tudo foi decido, é isso que procuram, atribuir o título ao Polvo a que devem obedecer. Cá estaremos para constatar que assim será, e o FCP que se prepare para dez jornadas de assaltos de apito armado, desde a primeira jornada. Lamentavelmente até o Santo Evangelista concorda que os jogadores assumam responsabilidades sanitárias que ninguém domina, nem a DGS, que faz parte da "festa", nem a OMS.

Resumindo o futebol está a ser…

Like

jaapimentel
jaapimentel
May 11, 2020

Talvez o Covid venha a meter os corruptos do futebol no sítio. Falo sobre aquela gente que tudo fez para manipular o desporto. Falo daqueles que tentaram acabar com o nosso Presindente. Era tão bom que os profissionais fossem colocados no lugar deles... Será que um dia viremos a ter um futebol genuíno?... LSL

Like

Fernando Pereira
Fernando Pereira
May 11, 2020

Siga para bingo! Obrigar os jogadores a assinar um termo de responsabilidade em que se responsabilizam, passe a redundância, pelo mal que eventualmente lhes aconteça, é duma xico espertice á portuguesa! É mesmo fazer dos jogadores mentecaptos! É Portugal no seu melhor estilo!

Like
bottom of page