Buscar

Marco Freitas 23/04/2020 - Contas à moda da Varanda(s)


Boa tarde Sportinguistas, Na semana finda, num zapping que fazia pelos jornais desportivos on-line, houve uma noticia que cativou a minha atenção. Dizia a mesma - quiçá uma narrativa - o seguinte: ...."A verdade é que desde que assumiu a presidência do Sporting, já lá vai ano e meio, Frederico Varandas já facturou mais de 150 milhões de euros (€155,450 M) com a venda de jogadores. Uma verba significativa que contribuiu decisivamente para um maior equilíbrio financeiro do clube, também para continuar a investir no projecto desportivo, quer seja através da compra de jogadores ou de investimento em infraestruturas." Sou obrigado a colocar as seguintes questões a esta imprensa desportiva "idónea" e isenta". Porque não noticiam que e por exemplo, a Direcção do Sporting CP negociou o Daniel Podence por uns míseros 7 milhões de euros em Setembro de 2019 e em Janeiro deste ano, este mesmo jogador é vendido pelo Olympiacos ao Wolverhampton por, pasme-se, 20 milhões de euros! Isto para não falar no processo contra este mesmo jogador que corria no TAD (o mesmo que julgou Rafael Leão) cujo o valor indemnizatório era de 60 milhões de euros! Porque não noticiam que, o Sporting CP negociou com o Atlético de Madrid o Gelson Martins por €22.500.000 (vinte e dois milhões e quinhentos mil euros), mas deste valor foi deduzido a quantia de €7.500.000 (sete milhões e quinhentos mil euros) por 50% (!) do passe de Luciano Vietto, ficando o Sporting com direito a receber somente €15,000.000 (quinze milhões de euros). Não esquecer ainda que, á data desta transacção o passe do Luciano Vietto estava (e está) avaliado em 6 milhões de euros pelo totalidade do mesmo. Mais, no dia que o Sporting CP vender Luciano Vietto por imagine-se, €10,000.000 (dez milhões de euros) terá que entregar ao Atlético de Madrid, 50% deste valor ou seja, um jogador que nos custou €7.500.000 (sete milhões e quinhentos mil euros), deixará nos cofres de Alvalade €5.000.000 (cinco milhões de euros), isto ainda sem contabilizar custos de intermediação. Que grande negócio! Vou dar de barato nesta minha análise o vergonhoso negócio do Merih Demiral porque a responsabilidade neste caso é do Srº Sousa Cintra e sua Comissão Transitória. O que quero dizer com isto? Não seria mais idóneo se esta mesma imprensa - que só relata narrativas - informassem que, a actual Direcção facturou mais de 150 milhões de euros (€155,450 M) com a venda de jogadores, mas poderia ter facturado muito mais! E já agora, quando dessem este tipo de noticias, fizessem bem o trabalho de casa e informassem que, este mesmo encaixe financeiro foi fruto do trabalho do anterior CA, e respectiva "herança pesada"! Sim porque se formos a analisar quais jogadores que venderam para fazer este encaixe financeiro, NENHUM deles foi contratado pela actual Direcção do Sporting CP! Custa assim tanto fazer noticias honestas e verdadeiras? Custa assim tanto ser imparcial em vez de seguir uma agenda, onde a incompetência é promovida em detrimento da competência? Isto para não falar na imagem negativa que a massa adepta do Sporting fica com este tipo de negócios que são no mínimo estranhos. Por falar em negócios estranhos, deixo aqui a minha opinião sobre o não pagamento da primeira tranche por parte do Sporting CP ao SC Braga relativo ao negocio Rúben Amorim. Prometo que não me irei alongar muito sobre o mesmo até porque, já muito se escreveu sobre o tema (quem foi que disse que o Sporting já não era motivo de chacota??) ficando o nosso clube - infelizmente - com imagem de mau pagador! Ao invés faço uma pequena cronologia dos FACTOS: 05 de Março - Sporting contrata Rúben Amorim por 10 milhões de euros. 06 de Março - Sporting devia pagar a primeira parcela, no valor de cinco milhões de euros. 11 de Março - OMS declara o estado de pandemia. 18 de Março - É declarado o estado de emergência nacional. 15 de Abril - É noticiado em toda a imprensa escrita e falada que, o Sporting não pagou Rúben Amorim. 16 de Abril - Numa entrevista a um canal o responsável (Salgado Zenha) pelo pelouro financeiro do Sporting CP diz e cito; "As pessoas falam do 'caso Amorim' e até de outros, mas uma coisa é certa: estamos a passar por uma situação nunca antes vista... É absolutamente ridículo falarmos de atrasos no pagamento a fornecedores no contexto actual. Ou não se percebe qual é, ou não se sabe gerir uma empresa em condições." Perante a cronologia acima descrita, pergunto. Mas será que a Direcção do nosso clube pensa que os sportinguistas são todos uns ignorantes? Será que a Direcção do Sporting pensa que andamos aqui todos a comer "gelados com a testa"?? Ainda mais chocante foi ver no day after a esta entrevista do director financeiro, os "senhores doutores" - aqueles que só aparecem para defender o indefensável - a elogiar, repito a elogiar a coragem (?) pelo acto de gestão do Exmo Srº Salgado Zenha. Tenham vergonha, e pelo menos uma vez na vida, digam o que de facto devia ser dito! O Sporting não honrou o(s) seu(s) compromisso(s) e isto em termos de imagem para o clube é nefasto!! Fecho esta minha crónica semanal com um tema que foi também muito badalado na passada semana, e que falava sobre os hipotéticos regressos de ex-futebolistas ao Sporting, nomeadamente Adrien, Rúben Semedo, João Mário e, pasme-se Podence!? Ora não seria melhor - na minha modesta opinião - em vez de pensarmos em "regressos" com os custos salariais que daí adviriam, já para não falar sobre a não rentabilidade destes activos, apostar em jogadores mais novos (na crónica de passada semana falei sobre jogadores da nossa formação e com um potencial enormissimo) para depois de estar na nossa montra vendermos e aí começar a equilibrar as contas? Deixo esta questão a merecer comentários da v/parte.

Até para a semana, O Sporting Somos Nós!



Marco Freitas 23/04/2020


650 visualizações5 comentários
This site was designed with the
.com
website builder. Create your website today.
Start Now