Buscar
  • Opinião com Assinatura

Marco Freitas 06/12/2020 - Salgado Zenha, o consumidor Sportinguista



Na passada segunda-feira o Sporting divulgou o relatório e contas da SAD, referente ao primeiro trimestre do exercício da época 2020/2021, e onde ficamos a saber que, o resultado líquido negativo cifra-se nos €4,2 milhões de euros.

Francisco Salgado Zenha, responsável pela área financeira, considerou natural as contas negativas face ao actual contexto pandémico. Diz o mesmo que; «Seria difícil não termos resultados negativos face àquilo que é o contexto actual, no meio de uma pandemia, com impacto dramático nas linhas de receitas».

Disse ainda que; «O que teve o efeito negativo para criar este resultado foi sobretudo o mercado de transferências, e a pandemia também teve impacto no mercado de transferências. É certo que houve alguma resiliência no valor do activo, no passe do jogador. Conseguimos, por exemplo, no caso do Wendel e do Acuña, vender com valores dentro do mercado, e por isso consideramos boas vendas, sobretudo tendo em conta o contexto. No entanto, o que sentimos foi que houve necessariamente um menor volume de transferências que teve impacto em outras potenciais vendas que poderíamos ter conseguido. Portugal é um mercado vendedor e o Sporting em particular é vendedor. E esta contas reflectem isso mesmo.»

E não me venham com desculpas de, herança pesada, covid-19, coronavírus, e por aí fora para que se minimize a incompetência de quem gere os destinos do clube, até porque, seja qual for a perceptiva no que a análise das contas diz respeito, chego quase sempre á mesma conclusão; sem estratégia, sem ideias, sem rumo, sem futuro, dando cabo de tudo o que possa ter ainda algum valor, nem assim conseguem os mínimos, e os mínimos são, pagar os gastos correntes evitando o aumento da dívida!

Dou-vos um pequeno exemplo, a 30 de Setembro o “cash flow” nos bancos era de €4 milhões de euros. Se compararmos com o R&C que fechou a 30 de Junho demonstra uma redução do valor disponível na ordem dos €10 milhões de euros.

Quero com isto dizer que, esta verba disponível (cash flow) já não era suficiente para, pelo menos pagar um mês de salários, daí a necessidade de vender á pressa Wendel da Silva ao Zenit de Saint Petersburg, e assim garantir alguma liquidez até fim do corrente ano.

Na área recebimentos – onde por norma está reflectido os valores a receber dos activos vendidos – no trimestre em causa, houve uma redução de €6 milhões de euros, passando agora a haver créditos a favor da Sporting SAD na ordem dos €12 milhões de euros, em detrimento dos €18 milhões de euros que estavam inscritos no anterior R&C.

Reforço que, deste montante/crédito, metade é devido pelo West Bromwich Albion F.C. relativo à transferência de Matheus Pereira, que muito honestamente tenho algumas dúvidas que, seja liquidado até final deste ano.

De qualquer das formas, salta á vista o seguinte, no ultimo trimestre, com corona ou sem corona, tivemos devedores a cumprir com as suas obrigações, ao contrário do Sporting CP que, continua a aumentar as suas dívidas a fornecedores!

Será que irá aparecer novamente aquela execrável narrativa, qual notícia encomendada que, a Sporting SAD, não cumpre as suas obrigações porque os seus clientes (leia-se devedores) também não pagam?

A ver vamos.

Atentem agora á seguinte lista que vos deixo abaixo, lista esta que, reflecte os resultados dos primeiros trimestres (Julho a Setembro) de cada época desportiva.

Como podem verificar, é no primeiro trimestre de cada época que se concentram grande parte das receitas, onde, por norma proporciona elevados resultados positivos, que vão sendo absorvidos ao longo dos trimestres seguintes em que a receita é menor.

Ø 2016: €62,9 Milhões de euros

Ø 2017: €24,7 Milhões de euros

Ø 2018: €16,0 Milhões de euros

Ø 2019: €21,0 Milhões de euros

Ø 2020: -4,1 Milhões de euros

Relembro que, em 2019, apesar dos €21 milhões de resultado positivo, em Janeiro de 2020, Bruno Fernandes foi vendido €55 milhões de euros, e em Junho de 2020, Matheus Pereira por cerca de €10 milhões de euros, garantindo assim liquidez e resultados equilibrados no final da época 19/20.

Com os exemplos acima, já dá para terem uma noção do que aí vem. Preparem-se!

E o que dizer da longa lista de agentes, onde a divida acumulada já vai em €27,7 milhões de euros? Apetece-me dizer, "comichões", "comichões" e mais "comichões"

E se a esta lista somarmos os €30 milhões de euros, de dívida a clubes relacionadas com aquisição de passes de jogadores, facilmente chegamos ao montante de €57,7 milhões de euros!

Mais, na lista acima ainda não está diluído as dívidas a fornecedores correntes que somam um total de €6,4 milhões de euros, elevando assim o total da dívida a fornecedores para €65 milhões de euros!

Se nesta equação somarmos os financiamentos obtidos, que num curto espaço de 3 meses, passaram de €37 milhões de euros (em Junho de 2020) para os actuais €49 milhões de euros, sabendo de antemão de que, em Novembro de 2021, teremos um empréstimo obrigacionista de 30 milhões contraído por esta mesma direcção para regularizar, torna-se assim confrangedor a falta de estratégia, assim como capacidade desta direcção para resolver os compromissos.

Gostaria de ouvir a opinião daqueles acérrimos defensores do actual conselho directivo, de preferência os mesmos que, em 2018 ficaram escandalizados quando, á data, a Comissão de Gestão e Administração da SAD do Sporting fez comunicados dizendo que, teriam detectado uma dívida de pelo menos 40 milhões de euros a fornecedores.

Termino esta minha crónica em relação ao tema R&C, revoltado por perceber que esta actual geração de miúdos que está a despontar na equipa principal provavelmente será vendida ao desbarato (€15 milhões de euros cada??) e onde uma vez mais o grande prejudicado será o Sporting Clube de Portugal, em detrimento dos grandes beneficiados que serão, os empresários, os empresários dos empresários, os comissionistas, os escritórios de advogados que farão os contratos, os sócios dos escritórios de advogados, etc, etc.

Tenho pena da próxima direcção que for eleita, essa sim irá herdar uma grande herança!

Termino esta crónica que já vai longa, deixando no ar as seguintes questões.

1. Quando é que o actual PMAG vai dar resposta aos sócios?

2. Quando é que o actual PMAG vai dar voz aos sócios?

3. Quando é que o PMAG, vai cumprir com os estatutos?

4. Quando é que o PMAG, vai ler as actas das anteriores AG`s?

5. Quando é que o PMAG, vai marcar as AG`s solicitadas por um conjunto de sócios?


P:S. Os rendimentos de todos os membros da Direcção já foram apresentados? Não se esqueçam que o Srº Drº prometeu que, se fosse eleito, todos os membros da sua Direcção iriam apresentar anualmente declarações de rendimento e de património!

Um forte abraço a todos!

O Sporting Somos Nós!

Marco Freitas

06/12/2020

49 visualizações0 comentário
This site was designed with the
.com
website builder. Create your website today.
Start Now