Buscar
  • Opinião com Assinatura

Luís Teves 27/05/2020 - UM OBRIGADO NÃO BASTA, E UM DESCULPE MUITO MENOS!



O que escrever pela última vez? Confesso que já tinha um texto preparado para esta semana, mas quando soube que este seria o meu derradeiro trecho decidi que teria que escrever algo diferente.


Normalmente nunca me faltaram ideias e temas sobre os quais escrever mas perante a conclusão deste ciclo fico quase sem palavras tanto é aquilo que gostaria de dizer. Em primeiro lugar quero agradecer ao Dr. Bruno de Carvalho esta magnífica e única oportunidade. Foi sem dúvida um orgulho e um privilégio poder colaborar nesta iniciativa de discussão franca e aberta

sobre os mais variados temas do desporto nacional e não só. Fi-lo com o maior prazer, pelo meu

sportinguismo e pela enorme dívida de gratidão que sinto para com Bruno de Carvalho e sua família, por todo o sofrimento que têm passado pela simples e única razão de tudo terem dado na defesa do clube que amamos.



O que dizer a um homem que dedicou cinco anos da sua vida de forma comprometida, obstinada, firme e competente ao clube do nosso coração? O que dizer a um homem que, em quatro anos, concretizou o sonho de construir um pavilhão para as modalidades, que já era prometido aos sócios há mais de trinta anos? Como agradecer a um presidente que aumentou o número de sócios para quase o dobro durante o seu mandato? Como retribuir a um homem que nos devolveu o orgulho de ser sportinguistas depois de vivermos décadas como adeptos envergonhados de um clube inconsequente, moribundo, sem chama e sem ambição? Como reconhecer um presidente que voltou a tornar o clube competitivo, que encheu o estádio, e trouxe de volta as grandes noites europeias? Como agradecer a um dirigente que denunciou e corrupção, que lutou pela verdade desportiva, e que sempre defendeu de forma intransigente os interesses do Sporting? Dizemos o quê…Obrigado por tudo?


E o que dizemos a um homem que por ter feito tudo o que Bruno de Carvalho fez pelo Sporting foi destituído e expulso no mesmo pavilhão que ele construiu? O que dizemos a um presidente que foi vitimizado, humilhado e enxovalhado na comunicação social, meses a fio, só porque defendeu o clube acima de tudo? Como reagimos ao ver o dirigente máximo do nosso clube ser detido, no seu domicílio, num domingo à noite na presença da sua família e numa altura em que os serviços judiciais estavam encerrados? O que fazemos quando o homem que melhor geriu o nosso clube nas últimas décadas é julgado em tribunal por crimes que nunca cometeu sem indícios ou provas de qualquer espécie? O que fazemos quando arruínam a vida de um homem para poderem entregar o nosso clube de novo às elites, aos compadres aos tios e tias, aos mentirosos, negociantes e comissionistas? O que dizemos a um homem que nunca teve a oportunidade de se defender publicamente das falsas acusações de que foi alvo. Dizemos o quê…Desculpe lá isso?


Depois de tudo o que se passou as palavras OBRIGADO e DESCULPE dificilmente me parecem suficientes e aceitáveis. Ao Dr. Bruno de Carvalho, é devido muito mais do que uns simples Obrigado e Desculpe.


Temos obrigação de ser muito mais agradecidos por tudo o que ele deu ao Sporting e

incomensuravelmente mais arrependidos pelo facto de não o termos defendido devidamente e nas alturas e locais próprios. Fomos nós que não dissemos presente quando ele precisou do nosso apoio.


Fomos nós que, de maneira hipócrita, aceitámos como legais e justificadas as assembleias de destituição e expulsão e as eleições de 7 de Setembro de 2018. Terá sido mais cómodo para muitos ficar em casa sentados no sofá, a destilar as suas objecções nos teclado dos computadores e telemóveis. Não bastou, não basta e nunca bastará.



Sendo eu um sportinguista da diáspora, a minha maior frustração continua a ser sentir aquela sensação de total impotência por não poder fazer mais para ajudar a reparar os danos pessoais e materiais que causaram ao Dr. Bruno de Carvalho e ao Sporting. Para mim tudo será inaceitável que não seja a recondução de Bruno de Carvalho ao lugar que julgo ser legitimamente seu, a Presidência do Sporting Clube de Portugal. Se ele assim quiser obviamente.


Por enquanto, terei de continuar a viver com o meu descontentamento, contribuindo de todas as

maneiras possíveis, até ao dia em que o Sporting voltará a ser novamente nosso. Ao Doutor Bruno de Carvalho envio o meu muito Obrigado e pedido de Desculpas com a garantia que não são simplesmente palavras de ocasião mas sim uma manifestação do meu total apoio e reconhecimento bem como o meu firme propósito de continuar a apoiar e patrocinar todas as iniciativas que possam devolver a ele e ao Sporting tudo o que lhes foi injustamente usurpado.


Ate já a todos com um forte abraço leonino.



Luís Teves

27/05/2020


0 visualização
This site was designed with the
.com
website builder. Create your website today.
Start Now