Buscar
  • Opinião com Assinatura

Luís Teves 14/01/2021 - DEPOIS DE MIM VIRÁ…..



Já me faltam as palavras para descrever a incompetência e sobranceria destes Órgãos Sociais do Sporting, nem para adjetivar a indiferença e letargia dos sportinguistas. Serei só eu que estou farto de testemunhar as mentiras deste CD, de presenciar os disparates desta gestão, de ver os sócios sujeitos aos abusos e ao desrespeito, subjugados à vontade de um PMAG prepotente e ignorados por um presidente pedante? E serei só eu que me sinto agastado com a inércia dos sócios que muito se queixam nas redes sociais mas não tem a coragem, a ousadia ou a consciência para perceber que a mudança no clube está nas suas mãos?

Após tudo o que se tem passado nas últimas semanas confesso que por vezes me questiono sobre o que estou aqui a fazer. Será que vale a pena? Mas quando faço esta introspecção acaba-me sempre por surgir a mesma interrogação: Se eu me sinto assim, como se sentirá o Dr. Bruno de Carvalho que deu tudo pelo clube e não vê, na maioria dos sócios, qualquer mobilização no sentido de ver reposta a sua condição de sócio com plenos direitos? Como se sentirá um ex-presidente, apaixonado pelo Sporting, que devolveu um rumo a um clube que estava à deriva, e que no final viu os sportinguistas virarem-lhe as costas sem o mínimo de gratidão e reconhecimento? Esta é uma das razões porque eu continuo aqui. Não me esqueço do que ele fez. A outra é que, sendo eu critico da apatia, inação e memória curta dos sportinguistas, não seria melhor do que eles se abandonasse esta luta agora.  



Com este homem, os sportinguistas tiveram um presidente que trabalhava 24 horas por dia em prol do clube e que defendeu de forma intransigente os interesses do Sporting. Com o clube mergulhado numa grave crise desportiva e financeira, Bruno de Carvalho realizou uma reestruturação financeira, reduziu o passivo, renegociou a dívida e apontou um novo rumo ao Sporting. Tivemos um líder carismático que em pouco mais de quatro anos realizou o sonho de inaugurar um pavilhão multidesportivo. Tivemos um presidente que reforçou o ecletismo no clube, que se traduziu em inúmeros títulos domésticos e Europeus, no atletismo, hóquei, andebol, voleibol e futsal, culminando com o ano com mais títulos na história centenária do clube. Tivemos um gestor que perante as dificuldades financeiras não auferiu qualquer rendimento em 2012/13 tendo este facto sido corrigido apenas em Outubro de 2013.

Com as finanças estabilizadas, Bruno de Carvalho teve a dignidade de apresentar uma proposta de aumentos salariais aos sócios para sua aprovação em AG. Tivemos um presidente que defendeu a verdade desportiva, que denunciou a corrupção, que apresentou propostas para melhorar o sector da arbitragem, que divulgou ideias para melhorar a competitividade na Liga. Tivemos um presidente que sempre colocou o seu futuro e as suas propostas para o clube nas mãos dos sócios. Nada disso foi suficiente para que pudesse continuar a sua obra porque muitos sportinguistas se deixaram levar por uma comunicação social cínica e desonesta e permitiram que os inimigos do Sporting, internos e externos, lhes toldassem a lucidez.


Agora temos este homem, e com este homem os sportinguistas tem um presidente que vai fazer surf, que gosta de se pavonear com os óculos Ray Ban, e de participar em jantares de Tertúlias. Temos agora um presidente que desinveste nas modalidades (as que não dão comissões), quando não acaba com elas em definitivo, sem sequer consultar a opinião dos sócios. Temos um presidente que, ao mesmo tempo que afirma ter herdado uma difícil situação financeira, propõe, e aprova unilateralmente, aumentos salariais principescos para si e seus muchachos, sem consulta prévia aos sócios e não obstante os protestos dos accionistas. Temos um presidente que insulta os sócios, que boceja durante os jogos, que põe os pés em cima das cadeiras. Temos um ignorante que despede funcionários do clube, (alguns de longa data) enquanto paga ordenados exorbitantes a jogadores de futebol que não contam para o treinador e treinam à parte. Temos um presidente que sugere a atletas olímpicos para representar o clube sem remuneração enquanto paga comissões obscenas a agentes de jogadores de futebol. Temos um presidente que aumentou a dívida do clube apesar de ter antecipado receitas do contrato das transmissões de jogos negociado pelo seu antecessor. Temos um presidente que justifica pagar dois milhões de euros para alguém abrir a porta da China ao Sporting mas não consegue justificar 50 ou 60 mil euros anuais para manter uma modalidade olímpica em actividade.

Podia estar aqui horas a fio a fazer o contraste entre o presidente competente que tivemos e o inepto ignorante que temos, mas tenho que ter em atenção que não devo maçar os leitores em demasia até porque há muita gente que não tem grande inclinação para a leitura. Por isso, e uma vez que não tenho muita habilidade para fazer desenhos, optei por incluir esta semana uma montagem de imagens mais alargada do que é habitual para permitir a quem não quiser ler, tirar a fotografia entre o passado e o presente.

Resta-me dizer que aquela já tão famosa frase ONDE VAI UM VÃO TODOS afinal não passa disso mesmo…é apenas uma frase. Isto porque enquanto neste Sporting alguns se deliciam com saborosos repastos, regados com vinho vintage na tribuna VIP outros estão a caminho da fila da sopa. Mas o que interessa isso? Estamos em primeiro no jogo da bola.



Luís Teves

14/01/2021



328 visualizações18 comentários

Posts recentes

Ver tudo