Buscar
  • Opinião com Assinatura

Luís Teves 09/12/2020 - PERDEMOS PONTOS POR CULPA PRÓPRIA…EXCEPTO QUANDO PERDEMOS PONTOS.



“Eu não quero uma cultura onde desculpabilize nós, internamente, por culpa de terceiros de árbitros. Já houve algum jogo onde o Sporting tenha perdido pontos onde não tenha tido culpa? Não, perdemos pontos por culpa nossa. Por isso é esta cultura que eu quero, e não quero os jogadores concentrados no erro da arbitragem porque isso acaba por desculpabilizar os nossos atletas”.

O português é um bocado macarrónico mas o que acabaram de ler acima, é uma transcrição integral, palavra por palavra, de declarações feitas pelo Dr. Frederico Varandas à Sporting TV. Não sei ao certo a data em que o pseudo-presidente deu a entrevista em questão, mas depreendo que tenha sido na altura em que o Sporting se tentava estabelecer como o clube mais elegante da Liga NOS independentemente dos pontos que custasse. Pelos vistos o paradigma mudou recentemente, porventura em consequência da forte contestação exercida pelos sócios e adeptos do clube ou pelo terror que o Dr. Covarde tem do fantasma de Bruno de Carvalho. Tal como faz na gestão do clube, o clínico promovido a presidente, muda de direcção, de postura e de estratégia ao sabor do vento e conforme lhe der mais jeito de dia para dia.



O Dr. Frederico Varandas não tem necessidade de andar nas TVs a fazer espalhafato cada vez que o Sporting é prejudicado. O Sporting anda a ser prejudicado há anos, está a ser prejudicado actualmente e continuará a ser prejudicado no futuro. Não sei bem porque o Dr. Varandas se sente tão indignado e perplexo nas suas intervenções após estes jogos. Ele sabe há muito que o Sporting é prejudicado, sabe porquê o Sporting é prejudicado e sabe a mando de quem. Afinal foi ele próprio que um dia recordou as lágrimas choradas em 2015/16 e prometeu contar ao mundo “Tudo o que vi em 11 anos de futebol”.



Se Frederico Varandas quer que nós, sportinguistas, o levem a sério só tem uma coisa a fazer: agendar uma entrevista num canal televisivo e comparecer lá como um homenzinho crescido e contar ao país, em directo, tudo o que disse saber sobre a corrupção no futebol e as razões que impediram o Sporting de se sagrar campeão na época de 2015/16. Afinal de contas foi isso que o seu antecessor, o Dr. Bruno de Carvalho fez quando, na SIC e em directo, denunciou as prendas de Vouchers do Benfica aos árbitros de futebol, onde apresentou provas ao país para sustentar a sua denúncia. Ao tomar esta atitude o Dr. Bruno de Carvalho demonstrou não só estar a defender os interesses do Sporting e a lutar pela verdade desportiva mas também provou aos portugueses ser um homem independente, corajoso e que não estava refém de nada ou de ninguém. Não compactuou com fraude e aldrabice apesar de saber que poderia sofrer graves consequências por esta decisão. Foi Homem de carácter.


O Dr. Varandas não consegue ter esta postura porque decerto não tem “cojones”, e falta-lhe a coragem para cumprir as promessas que fez em campanha eleitoral. Deve estar preso a alguma coisa ou subjugado a alguém. Prometeu muito para chegar ao lugar que agora ocupa e se calhar não pode agora denunciar quem o terá eventualmente ajudado a lá chegar e que nos poderá estar agora a roubar. Só assim se compreende a desistência de recorrer do processo E-Toupeira. Só assim consigo perceber que se tenha abandonado a luta pelos 4 campeonatos que o Sporting venceu e que continuam a não ser reconhecidos e só assim entendo que não se lute pelo campeonato que nos foi escamoteado em 2015/16. É que para continuar a exigir aquilo a que o Sporting tem direito, é preciso ser corajoso, ser independente e não andar a fazer alianças às escondidas com os mesmos senhores que patrocinam a roubalheira. Varandas não o faz porque já foi avisado e tem medo das consequências. É um rastejante sem espinha dorsal.


Varandas não quer, não sabe ou não pode tomar as atitudes mais adequadas e directas para evitar que o Sporting seja constantemente prejudicado. Aponta facilmente o dedo aos árbitros, mas não tem a mesma determinação, a audácia nem a coragem para apontar o dedo àqueles que estão há anos verdadeiramente por detrás de tudo isso. Por ser covarde, fraco e submisso a alguém, o doutor faz o mais fácil, que é apelar ao sentimento de revolta daqueles sportinguistas menos esclarecidos que infelizmente ficam mais indignados quando lhes invalidam um golo limpo do que quando lhes roubam o clube, a dignidade e os seus direitos de associados. Este seu comportamento tem a anuência da comunicação social que, em tempos não muito distantes, e perante conduta idêntica por parte de Bruno de Carvalho, teriam-no acusado de incendiar o futebol português e incitar à violência. Pior ainda, diriam que estava a mais no futebol.

 

Nos homens (e mulheres) admiro a coragem, a independência, a verticalidade e a coerência. Frederico Varandas não exibe nenhuma destas qualidades. Ao contrário é um hipócrita desleal, um indivíduo confuso e desarticulado, um sujeito ridículo e sem carácter. Tudo o que faz, e o que por medo e covardia teima em não fazer, tem apenas um propósito: a sua manutenção na presidência do Sporting. 



Luís Teves

09/12/2020


275 visualizações3 comentários

Posts recentes

Ver tudo
This site was designed with the
.com
website builder. Create your website today.
Start Now