Buscar

Luís Teves 08/07/2020 - DESCULPAS E TRABALHO INVISÍVEL



Ontem logo após o jogo em Moreira de Cónegos o Sporting emitiu mais um daqueles comunicados patéticos que só pode ser concebido na cabeça de um iluminado como o Dr. Varandas ou de outro génio como ele. Após quatro vitórias consecutivas, diante de equipas fracas, muitos adeptos iniciaram o habitual processo de deslumbramento e começaram a acreditar ser possível alcançar o segundo lugar. O comunicado foi para eles, não foi para aqueles sportinguistas mais calejados que já viram este filme vezes sem fim.


Foi mais um comunicado na linha do costume, a culpar a arbitragem por um jogo menos conseguido. O árbitro errou decerto mas o Sporting jogou praticamente metade do jogo contra dez e nem assim conseguiu marcar um golo. Quem paga 14 milhões por um treinador tem que arranjar desculpas quando a coisa não sai bem, especialmente quando os sportinguistas começavam e esquecer-se do preço pago pelo técnico, embriagados por quatro vitórias onde na realidade nada estava em jogo. Este comunicado foi para eles e para outros como o fadista João Braga que, se calhar na sua vontade de engraxar as botas do patrão do filho, teceu largos elogios a Ruben Amorim no jornal Record sem sequer referir que, ao contrário dos seus rivais, o Sporting não tem nada a perder e, portanto, não joga sob qualquer pressão.


Foi também para aquela gente que já se esqueceu que também estavam a esfregar as mãos de

contentes quando Marcel Keizer teve algum sucesso com goleadas nos seus primeiros jogos no

comando da equipa chegando a ganhar 10 jogos seguidos. Foi um comunicado para consumo de gente parva como uma conhecida sportinguista que na última semana escreveu nas redes sociais: “Espero que o Sporting vença a Liga no próximo ano”. Espera porquê? Porque ganharam ao Paços, ao Belenenses e ao Tondela? Ou será que ela já sabe que o presidente do Benfica vai dar um rebuçado ao Dr. Varandas para lhe recompensar pela sua lealdade?



Não foi de certeza um comunicado feito para a escumalha, para os malucos e estúpidos que andam há décadas a percorrer os estádios de norte a sul do país apoiando incondicionalmente a equipa recebendo apenas em troca insultos do actual presidente. Esta comunicação do Dr. Varandas não é certamente direccionada para os sportinguistas mais esclarecidos que percebem quais são as reais razões que levaram o Sporting a esta situação. Foi um comunicado para a carneirada que se contenta com 12 pontinhos em jogos contra quatro equipas que estão com a corda ao pescoço para não descerem de escalão. O Sporting não está a 17 pontos do FC Porto porque o Sr. Tiago Martins não assinalou uma penalidade sobre Sebastian Coates no jogo com o Moreirense. O Sporting está a léguas do primeiro lugar porque a época foi indecentemente mal planeada, por gente que não percebe nada de futebol, que não tem a mínima noção de como funciona o mercado, que não conhece os dossiers do clube e que

são de uma incompetência assustadora; pelo menos tão assustadora quanto a sua vaidade.


O problema não está no treinador ou nos jogadores. O problema é estrutural e só será solucionado com o afastamento desta direcção de gente oportunista e incapaz. Enquanto o Sporting for gerido por gente que não tem “negotiation skills”, que não sabe liderar, que não sabe motivar, que nada sabe sobre a história do clube, não poderemos esperar muito mais do que isso. Enquanto o Sporting tiver um PMAG que não sabe conduzir uma Assembleia Geral, que não perceba que o seu dever não é defender o CD mas representar os sócios e que coloca as suas interpretações acima dos que os Estatutos lhe obrigam a fazer, nunca chegaremos lá. Há muitos que apesar de terem visto os inúmeros exemplos de má gestão, de amadorismo, de nepotismo, de negócios que prejudicaram o Sporting em benefício de amigos, compadres, sócios e demais abutres, feitos pelos mesmos dirigentes que hoje lá estão de novo, ainda não se aperceberam que é neles que reside o problema.


O Sporting pode ganhar quatro ou cinco jogos consecutivos de quando em vez e até pode se campeão de vinte em vinte anos, mas nunca será um crónico ganhador enquanto não for construída de base uma cultura ganhadora no clube. Uma cultura vencedora nunca se constrói com desculpas, com comunicados parvos, com tratamento desigual dos associados e colaboradores ou fomentando a ignorância no seio do clube. Nunca seremos crónicos ganhadores enquanto formos “liderados” por quem promove e estimula a desunião para se manter no poder, por quem não assume as responsabilidades e culpa os outros por todos os fracassos. Nunca chegaremos a ser aquele clube tão grande como os maiores da

Europa enquanto tivermos como presidente quem promete muito e nada cumpre e quem procura receber os louros do trabalho dos outros porque não tem trabalho seu para apresentar. Trabalho invisível apenas produz títulos invisíveis. Os nossos títulos serão poder dizer que o melhor jogador do mundo foi formado na Academia e que ele sofre quando o Sporting perde.


Teremos que nos contentar com os percalços dos outros e fazer a festa quando eles não ganham. Só chegaremos lá com exigência, com exemplo, com trabalho, com respeito pelos associados. Tivemos um breve período em que se tentou criar aquela cultura ganhadora, com trabalho árduo, sem desculpas, com objectivos definidos, com propósito, com determinação, com competência, e acima de tudo com respeito pelo clube e pela sua história. Foi sol de pouca dura como tem sido quase tudo no Sporting.


Mas que saudades eu tenho!



Luís Teves

08/07/2020




615 visualizações8 comentários
This site was designed with the
.com
website builder. Create your website today.
Start Now