Buscar
  • Andreia Antunes

Luís Teves 06/01/2021 - UM TIO A LAMBER AS BOTAS AO SOBRINHO



Às vezes é deveras surpreendente como um imbecil se consegue superar a si próprio num curto espaço de tempo. Com apenas dois dias para o conclusão de um ano angustiante e anormal, onde um pretenso intelectual e suposto sportinguista inundou as páginas de jornais com crónicas néscias, encomendadas pela brigada do croquete, o hipotético animal racional colocou a proverbial cereja no topo do bolo da opinião escrita com um último atentado à inteligência dos verdadeiros sportinguistas.


Como decerto já perceberam refiro-me a um tal Barbosa da Cruz e ao seu artigo de opinião na edição de 30 de Dezembro do Record intitulado “Sobrinho”. Segundo este encartado azémola, o Sporting está em dívida para com Álvaro Sobrinho por tudo o que o investidor “deu” ao clube, incluindo um autocarro. Barbosa da Cruz sugere que o Sporting nunca agradeceu “de forma conveniente” ao banqueiro por este ter aceite converter em acções as percentagens que tinha em passes de jogadores importantes permitindo ao clube negociar livremente e encaixar os produtos das vendas. E foi mais longe o ex-dirigente, afirmando que, para ele, Álvaro Sobrinho é um leão de mérito.


Talvez Barbosa da Cruz não tenha ainda consultado o significado da palavra investidor. Um investidor é uma pessoa, ou entidade, que aplica capital com a expectativa de receber um retorno financeiro. Se Sobrinho “investiu” no Sporting foi certamente com o propósito de obter lucro. Tanto assim foi que quando se deparou com a possibilidade de ver reduzida a percentagem detida pela Holdimo na Sporting SAD tudo fez para dar o golpe em Bruno de Carvalho. Sobrinho não deu nada ao Sporting. Pelo contrário ele, como muitos dos que lá estão na direcção, roubaram ao Sporting a mística, a ambição, a exigência e quiçá outras coisas mais, que um sócio anónimo como eu não pode provar. Se bem me lembro foi Álvaro Sobrinho quem defendeu a tese de que no Sporting o que seria mais importante não seriam as vitórias e os títulos mas as finanças e os lucros. Numa entrevista na TV, deu o exemplo do Arsenal que há muitos anos não ganhava nada mas era um clube rentável.



Não sei como há gente como este Barbosa da Cruz que tem o descaramento de vir insinuar que o Sporting deveria agradecer ao dono de uma empresa sobre a qual existem suspeitas de alegados crimes de branqueamento de capitais que inclusive já motivaram buscas em Alvalade pela Polícia Judiciária. Não terá o Sr. Barbosa da Cruz interesse em saber a procedência do capital investido na Sporting SAD pela Holdimo? O ilustre cronista não leu a edição de 14 de Novembro de 2020 do CM, onde ele até faz uns biscates, em que aquele jornal informa que Álvaro Sobrinho está a ser investigado pelo Ministério Público por suspeitas de que terá usado dinheiro do BESA para investir no Sporting? Não sabe o Sr. Barbosa da Cruz que a sociedade do Sporting confirmou que “está em causa um alegado crime de branqueamento de capitais referente ao período de 2011 a 2014”? Não seria mais prudente esperar pelo desenrolar destas investigações antes de propor Álvaro Sobrinho para Leão de Ouro? Ou será que na última crónica do ano este parvo ficou com a latrina entupida e não lhe ocorreu melhor ideia?


Esta gente que está à frente do Sporting, e seus apoiantes, são da pior estirpe imaginável, e estas crónicas não são inocente ou desinteressadamente concebidas. Tudo obedece a uma linha mestra que tem uma finalidade definida e que está a ser perseguida à revelia dos sócios. O presidente da MAG do clube é o advogado de Álvaro Sobrinho, e também é sócio de João Pedro Varandas, que por sua vez é irmão de Frederico Varandas, actual presidente do Sporting. O Jornal Record, onde Barbosa da Cruz escreve as suas crónicas, faz parte do Grupo Cofina onde Sobrinho detém um forte investimento (cerca de 15%) através da Newshold SGPS da qual é um dos principais accionistas. Para os mais ingênuos isto pode parecer tudo uma enorme coincidência mas para mim tresanda a compadrio, conluio e conflito de interesses.


Como poderemos explicar que os fulanos que pretendem ver o Sporting “agradecer de forma conveniente” a um indivíduo que está a ser investigado em vários continentes, sejam os mesmos que defenderam a destituição e expulsão do clube de um homem que verdadeiramente deu tudo o que tinha ao clube, salvando-o da falência, tornando-o competitivo, aumentando o seu património e devolvendo-lhe o orgulho?


O Sporting foi tomado por uma alcateia de facínoras capazes de toda a espécie de desonestidades, imoralidades e sordidez para atingirem os seus objectivos. Por aqui se vê como esses canalhas são capazes de enaltecer, promover e elogiar uma pessoa suspeita de estar envolvida num sem-número de actividades ilegais só porque é um da laia deles. No entanto, e perante a completa ilibação de um cidadão e sportinguista, a quem eles tudo fizeram para humilhar e destruir, não tem a elevação, a hombridade nem a honradez de sequer reconhecer a sua inocência e reparar o mal que lhe fizeram. Pelo contrário, continuam a insultá-lo e a denegrir a sua imagem. Fazem-no porque não são homens, são ratazanas sebentas e obscenas.


Para todos aqueles que, como Barbosa da Cruz, defendem que Álvaro Sobrinho deveria ser distinguido com o Leão de Ouro, sugiro que sejam galardoados por nós, os verdadeiros sportinguistas, com a Medalha de Ouro com Palma das Olimpíadas da Idiotice. Pelos vistos hoje em dia qualquer bosta chega a advogado ou médico e, por sorte, vão todos parar ao Sporting.



Luís Teves

06/01/2021


765 visualizações5 comentários

Posts recentes

Ver tudo