Buscar
  • Opinião com Assinatura

Luís Teves 03/06/2020 - CUIDE-SE BRUNO DE CARVALHO. AS HIENAS ESTÃO EM TODO O LADO



Desde a leitura do acórdão do julgamento de Alcochete na passada quinta-feira, temos assistido a uma verdadeira parada de artes circenses na comunicação social portuguesa. Diariamente desfilam nas TVs e jornais, os mais variados palhaços, malabaristas de factos, contorcionistas da verdade, saltimbancos, e até o ocasional anão fazedor de inquéritos. É um autêntico rega-bofe vê-los a competir uns com os outros, tentando seduzir o público com os seus discursos pomposos e trejeitos mirabolantes.


Eles andam todos por aí, num tipo de agrupamento itinerante, pronto a exibir-se em qualquer feira ou praça pública, vendendo poções milagrosas aos mais ingénuos e distraídos. São mais conhecidos como notáveis, croquetes, ilustres e cartilheiros e têm ao longo dos últimos dois anos, vagueado pela savana sportinguista, como hienas famintas, a farejar carne fresca por detrás de cada arbusto.


O método já é familiar; cada dia fala um ou dois, para assim se poder alargar ao máximo o tempo de exposição mediática, em tudo parecido com o que aconteceu com as rescisões a conta-gotas dos jogadores, após o ataque a academia. Até parece que o esquema foi inventado pelas mesmas pessoas.


Mas há sempre aquele chico-esperto que se julga mais que o outros e que não se contém na ansiedade de ser ele a dar o pontapé de saída. Desta vez o apressado nem esperou pela leitura do acórdão e aproveitou o espaço num pasquim para epigrafar a tese de que Bruno de Carvalho não foi expulso por qualquer alegada associação aos acontecimentos de Alcochete. Tratou-se de um indivíduo que foi escolhido a dedo para encabeçar uma Comissão de Fiscalização “justa e imparcial” onde apenas um dos cinco elementos que a componham nunca tinha feito considerações públicas sobre quem iriam julgar, e que foi obviamente formada com o único objectivo de destruir uma pessoa que se afigurava incómoda para os interesses de muita gente. Falo do reputado maçon que um dia escreveu um crónica intitulada “Bruno, és tu ou eu!” e que faz gala de nunca perder uma oportunidade para referir que foi ele quem “recomendou” a expulsão do ex-presidente.



Dado o tiro de partida tem sido um fartote de opiniões, a começar por um comunicado patético

assinado pela administração do Sporting Clube de Portugal que, depois de o ler variadas vezes, continuo sem conseguir discernir qual o objectivo da sua publicação, e apenas consigo detectar uma subentendida desilusão pelo facto de um ex-dirigente do clube ter sido ilibado de todos os crimes dos quais era acusado. Seguiram-se intervenções de variadas personalidades que classifico entre o ridículo, o absurdo e o mal-educado. A começar pelo mal-educado saliento as declarações de Abrantes Mendes, aquele senhor que durante uma entrevista demonstrou total indignação pelo facto de não ter conseguido bilhete para uma final de Taça de Portugal no Jamor (“Imagine….eu!” disse ele incrédulo).


O Excelentíssimo Senhor Doutor Juiz Desembargador do alto do seu púlpito de superioridade apenas questionou: “Quem é Bruno de Carvalho? É sócio? Não. Para mim vale zero”. Nada de novo vindo daquela personagem que se julga no direito de ter benefícios que os outros não têm. O pior é que ele e quem ele apoia, já provaram em variadíssimas ocasiões que para eles também os sócios valem zero.


Agora questiono eu: Afinal quem é Abrantes Mendes? Tem carácter? Não. Para mim vale zero.



Como é hábito nestas ocasiões ninguém quer ficar atrás e Soares Franco também não desperdiçou a oportunidade para aparecer nos jornais. Fiquei a saber através das suas declarações que não sou um sócio do Sporting que discorda com ele. Não senhor, sou um sócio “radical e fundamentalista”. Foi mais longe Soares Franco quando apelou a Bruno de Carvalho para que “…ponha a mão na consciência, para descer à terra e perceber que se, de facto, é um verdadeiro sportinguista deve ter uma atitude sensata, sã e deixar esta direcção que foi eleita acabar o seu mandato e trabalhar com o máximo de tranquilidade possível, para enfrentar os desafios que o Sporting tem pela frente. Que já não era nada fácil, porque ele deixou uma herança pesada".


O Sr. Soares Franco não compreende que cabe unicamente aos sócios decidir sobre se deixarão ou não esta direção terminar o mandato. Fica bem patente o que este senhor, que apesar de dedicar apenas uma hora por dia ao clube conseguiu delapidar o património do Sporting melhor do que ninguém, pensa dos sócios que discordam da sua ”visão”. Numa entrevista concedida há dois anos ao Vozes ao Minuto, Soares Franco acusou Bruno de Carvalho de ser populista.


Diferenciou a sua educação como sendo superior, e salientou que frequentou o Colégio Militar onde aprendeu o que era disciplina, porque se levantava diariamente às 6:30h, fazia cama, engraxava os sapatos e areava os botões. Folgo em saber que alguns não se ficam pelo engraxar de sapatos e acabam por graduar para o nível de lambe-botas de outros oficiais militares.


Por entre mais algumas intervenções surpreendentes, destaco que até houve alguém que teorizou que a ilibação de Bruno de Carvalho lhe permite agora candidatar-se à presidência da Sporting SAD. O autor desta teoria esqueceu-se, ou não sabe, que a presidência da SAD é atribuída por nomeação do clube e não através de acto eleitoral. Mas como hoje em dias todos escrevem no jornal, siga em frente!


Não pode ser ignorado o desempenho deprimente de alguns proclamados jornalistas que não sentem vergonha de fazer figuras lamentáveis, teimando em chafurdar na mesquinhez, atirando o profissionalismo ao vento para agradar a algo ou alguém. A entrevista de José Alberto Carvalho, o tal que se celebrizou ao fazer um pedido de desculpas da TVi às gentes do norte, foi um desastre…para ele.


Pareceu-me mal preparado e com uma prévia intenção de “entalar” o ex-presidente do Sporting. Notou-se que o jornalista não se conseguiu libertar das suas convicções pessoais e, por consequência, foi-lhe totalmente impossível fazer um trabalho meritório. Tentou a todo o custo procurar encontrar algo que pudesse “colar” a um homem que horas antes tinha sido ilibado de todos os crimes de que tinha sido acusado e como não conseguiu fazê-lo perdeu a calma e borrou completamente a pintura.


Por sua vez, Rui Santos, o tal comentador que tem um ódio de estimação a Bruno de Carvalho e que perde noites a sonhar com inquéritos de meia-tijela foi igual a si próprio. Mais uma vez o diminuto jornalista não fugiu à linha mestra e insistiu no seu discurso simplório de que os sportinguistas não se podem esquecer da forma como Bruno de Carvalho insultou os associados. Para o Rui Santos dizer que alguns sócios são sportingados, ovelhas e croquetes, é mais ofensivo do que dizer que são estúpidos, escumalha e malucos. Ele não gostou quando Bruno de Carvalho apelidou jogadores de “mimados”.


Mas quando Luís Filipe Vieira disse numa AG que Jorge Mendes não representava nenhum “cabr@%” ou nenhum “filho de p#*@” de um jogador do Benfica, aí estava a utilizar linguagem popular. Viva o jornalismo!


Destoando da generalidade dos opinadores sobre esta temática tivemos o ex-futebolista do clube, Salin, que não teve problemas em afirmar que “Bruno de Carvalho foi destruído e merecia mais respeito”.


Aparentemente Salin, ao contrário de alguns do seus colegas que rescindiram com o clube para ganhar mais dinheiro, não se considerou abandonado pelo ex-presidente do clube.

De acordo também parece estar o conceituado médico e conhecido sportinguista Dr. Eduardo Barroso, que disse ser sua opinião de que os sócios têm a obrigação de repor Bruno de Carvalho como sócio. Foi mais longe dizendo: “Estarei na primeira linha e conto com Varandas para o fazer. E ele sabe porque estou a dizer isso”. Não tenho a menor dúvida que Frederico Varandas saiba porque o Dr. Barroso disse o que disse. O problema é que nós não sabemos e se calhar seria interessante uma vez na vida alguém não se ficar pelas meias palavras e contar a história toda aos sócios e adeptos do Sporting.


Parece-me que a parada está para durar. As hienas andam por aí à solta esfomeadas e sedentas. Cuide- se meu caro Bruno de Carvalho, mas saiba também que tem muitos leões que não o abandonarão a si nem ao Sporting.



Luís Teves

03/06/2020


0 visualização
This site was designed with the
.com
website builder. Create your website today.
Start Now