Buscar
  • Opinião com Assinatura

Afonso Pinto Coelho 04/12/2020 - Relatório & Contas Sporting SAD 2020/2021 - Primeiro Trimestre



Foi conhecido esta semana o Relatório & Contas relativamente à Sporting Futebol SAD referente ao Trimestre 1. do exercício económico 2020/2021, ou seja, relativamente ao período compreendido entre o dia 1 de Julho de 2020 e o dia 30 de Setembro de 2020. Da análise do documento em questão, destaca-se o Resultado Liquido Negativo de 4,193 Milhões de euros, e por consequência o agravamento da situação de falência técnica, em que o capital próprio negativo passou de 9,897 Milhões de euros para 14,090 Milhões de euros.

No que se refere concretamente à Demonstração de Resultados, os resultados operacionais sem transações de jogadores foram novamente negativos (4,508 Milhões de euros). No entanto, no trimestre em análise, os resultados operacionais positivos das transações com jogadores não chegaram para compensar os resultados operacionais negativos sem transações com jogadores e os resultados financeiros negativos, o que por consequência determinou um Resultado Liquido negativo no trimestre. Entre os rendimentos resultantes com as transacções de jogadores, destaca-se o valor adicional de 3 Milhões de euros pela "materialização de um dos objectivos previstos no contrato de venda do Manchester United", relativamente ao jogador Bruno Fernandes. No entanto, causa surpresa o valor de 0,77 Milhões (25,67%) de euros de gastos associados ao referido objectivo acordado na transferência, o que resultou por consequência no rendimento liquido de apenas 2,23 Milhões de euros relativamente a este objectivo especifico da transferência. Por outro lado, causa muita preocupação, quer relativamente ao trimestre em causa, quer para os restantes 3 trimestres do exercício económico anual em curso, o decréscimo (relativamente ao período homologo do exercício económico anterior) de 5,706 Milhões de euros para 0,671 Milhões de euros na rubrica "participação nas competições europeias" em "outros rendimentos operacionais" por via da eliminação precoce na Liga Europa e consequente não participação na fase de grupos da referida competição. Por outro lado, por via do efeito pandemia Covid-19, causa igualmente natural e elevada preocupação, o decréscimo (fase ao período homologo do exercício económico anterior) das receitas de "bilheteira e bilhetes de época" em "vendas de prestações de serviços" (de 3,923 Milhões de euros para 0,177 Milhões de euros), que ainda assim poderá ser parcialmente revertido nos próximos trimestres se for autorizada a presença de público no que resta da época desportiva inserida no exercício económico em curso.

No que se refere à Demonstração da Posição Financeira, destaca-se a redução do valor do Activo, considerando que essa redução não foi acompanhada por uma redução do valor do Passivo no mínimo idêntica, pois a variação/redução do Passivo foi residual relativamente a 30 de Junho de 2020. O Passivo em 30 de Setembro de 2020 era de 298,21 Milhões de euros, quando em 30 de Junho de 2018 era de 282,55 Milhões de euros e em 30 de Setembro de 2018 era de 281,248 Milhões de euros. Também no que se refere ao Passivo Corrente (a menos de 1 ano), destaca-se com natural e elevada preocupação o valor da divida a fornecedores (64,552 Milhões de euros), sendo que 27,79 Milhões de euros (43,05% das dividas a fornecedores) são dividas a pagar a agentes de jogadores. A divida a Fornecedores em 30 de Junho de 2018 era de 44,029 Milhões de euros, e em 30 de Setembro de 2018 era de 51,129 Milhões de Euros. Em conclusão, é extremamente preocupante a situação económico-financeira da Sporting Futebol SAD, não apenas pelo Relatório & Contas do trimestre em questão, mas também pelo que se projecta para os trimestres seguintes do(s) exercício(s) económico(s).


Saudações leoninas!



Afonso Pinto Coelho

04/12/2020

616 visualizações8 comentários

Posts recentes

Ver tudo
This site was designed with the
.com
website builder. Create your website today.
Start Now