top of page
Buscar
  • Foto do escritorOpinião com Assinatura

A Mim Que… - Parceria Rugido Verde - 28/02/2021


Autor: Peyroteo ; Categorias: Crónicas


Sporting Football Club… um clube só de futebol.


A mim que… vibrei com a conquista da medalha de prata de Carlos Lopes, nos Jogos Olímpicos de Montreal em 1976.

A mim que… cresci a ver o Maior de todos Mário Moniz Pereira fazer campeões. Carlos Lopes, Fernando Mamede, Aniceto Simões, Rafael Marques, Domingos e Dionísio, Ezequiel Canário e a conquista de todas as Taças dos Clubes Campeões Europeus de Corta-Mato e as inúmeras vitórias e medalhas por eles conquistadas. A mim que… fiquei acordado até às tantas em ’84 para ver a grande vitória do Lopes, mas também para ver o Mamede. Que vi a Conceição Alves, a Adilia Silvério, o José Carvalho, o Obikwelu, o Rui Silva, a Naide, o Nelson Évora, a Patrícia Mamona e a Taça dos Campeões de Atletismo em Pista. Que vi os inúmeros títulos e recordes desses campeões todos.



A mim que… despertei para o Sporting a ouvir relatos de hóquei em patins.

A mim que… vi, a preto e branco, a saga dos cinco magníficos que conquistaram a primeira Taça dos Campeões Europeus em 1977 pela mão do mestre Torcato.

A mim que… cresci com o Ramalhete, Rendeiro, Sobrinho, Livramento e Chana. Que vi Fernandes, Fernando Pereira, José Carlos, Picas e Piruças. Que vi Carlos Alves, José Rosado, Vítor Rosado, Salema e Carvalho.



Que vi aparecer o Trindade, o Realista, o Luís Nunes, o Chambel e o Serginho. Que vi os meninos Paulo Alves, o Paulo Almeida, o Vítor Fortunato, o Pedro Alves e o Pedro Teles serem campeões pelas mãos do mago Livramento. Que tenho o prazer de ver o Girão e o Romero… querem impingir-me um clube só de futebol.

A mim que… levava uns calduços da minha mãe porque em 1978 ficava até à meia noite à espera do resumo da etapa do dia da Volta a França porque estava lá o Joaquim Agostinho. Não corria pelo Sporting, mas para mim era como se corresse.


A mim que… estava em Alvalade quando apareceu o Agostinho com o Marco Chagas a dar uma volta à pista no intervalo de um jogo de futebol e apercebemo-nos de que o grande campeão e o ciclismo iam voltar ao clube.

A mim que chorei a morte do Agostinho… querem impingir-me um clube só de futebol.

A mim que… vi Augusto Baganha, Rui Pinheiro, Carlos Lisboa, Tomané, Manuel Sobreiro e Israel serem os últimos campeões nacionais de basquetebol pelo Sporting.

A mim que… Vi jogar o campioníssimo Manuel Brito, o Franco, o Miranda, o Fernando Jorge, o Jorge Rodrigues, o Carlos Silva, o João Gonçalves e os irmãos Vasconcelos. Que vi o José Luzia, o Carlos Ferreira e o Ricardo Andorinho. Que vi o Pedro Portela, o Frankis, o Ruesga, o Valdes, o Nikcevic e que quero ver o Manuel Gaspar e o Salvador Salvador… querem impingir-me um clube só de futebol.



A mim que… vi o José Alvoeiro, a Anabela Fernandes, o Pedro Miguel, o João Portela, o Chen, o Nuno Dias e o Aruna e um sem fim de títulos de campeões de ténis de mesa.

A mim que… vi o Miguel Maia ser campeão pelo Sporting com duas décadas de intervalo. Primeiro com o Vitó, o Wagner e o Florov e depois com o Angel e o Luke Smith.



A mim que vi o Ricardo Ferraz “fabricar” campeões de boxe. O Paquito, o Vítor Carvalho… o Fernando Fernandes no kickboxing… querem impingir-me um clube só de futebol.



A mim que… sou do tempo em que o futsal se chamava futebol de salão, imaginem. Eu e muitos, que assistimos desde o início ao crescimento daquela que é uma das modalidades mais tituladas do clube. Onde atingimos patamares de excelência e estamos há muitos anos no top mundial.

Que vi aparecer o Seninho e o Pireza. O Zé Belo e o Lhé . O João Benedito e o Gonçalo Alves. O Zezito e o Bibi. O Evandro e o Café. O João Matos, o Divanei, o Alex, o Deo, o Merlim e o Cardinal. O Nuno Dias… querem impingir-me um clube só de futebol.



Que me desculpem todos os atletas e treinadores que não mencionei. Não é por isso que não estão no meu coração.

A mim que… vi desaparecer o Pavilhão de Alvalade. Que vi os atletas do Sporting conquistarem vitórias épicas na mítica Nave de Alvalade. Que vi os nossos atletas sacrificados durante década e meia a andar de casa às costas porque não existia casa para as modalidades.

Que vi desaparecer a Nave de Alvalade junto com o estádio que levou também a pista de atletismo.

Foi preciso aparecer o único presidente com tomates nos últimos 25 anos para voltar a dar uma casa às modalidades. O que é actualmente o maior bastião do Sportinguismo. O magnifico Pavilhão com o nome do não menos magnífico presidente João Rocha e mandado construir pelo enorme Bruno de Carvalho.

Querem impingir-me um clube só de futebol. A mim que… é a modalidade de que gosto mais – o futebol. É que eu também tive grandes ídolos no futebol, e foi a modalidade a que assisti mais vezes ao vivo.



Cresci com o Damas. Com o Laranjeira e o Fraguito. O Manuel Fernandes, o Keita e o Jordão. Vi o Oliveira o Luisinho e o Douglas. Vi o Figo, o Balakov e o Cherbakov. Vi o Liedson e o Slimani. Vi muitos e bons futebolistas que admirei e adorei ver com a nossa camisola vestida.

Vou ao estádio desde 1976. Já passei o meio século de vida e tenho memória do Sporting ser campeão nacional de futebol 4 vezes. Eu não sou do Sporting só pelo futebol. Sou do Sporting porque o Sporting é grande em todas as modalidades.

É o ecletismo do Sporting que lhe traz a grandeza e o encanto que nele vejo e que desde criança me atraiu. Foi o facto de ser um clube de campeões e de valores e virtudes que me manteve agarrado durante estes cinquenta anos.

Portanto… não queiram impingir-me um clube só de futebol.



Texto escrito em parceria com www.brunodecarvalho.com

Rugido Verde

Autor: Peyroteo

28/02/2021


312 visualizações9 comentários

Posts recentes

Ver tudo

9 commentaires


mgrgcorreia
09 mars 2021

Com o Bruno de Carvalho respirava-se mística e orgulho. Alvalade sempre cheio, alegria e compromisso dos adeptos. Era raríssimo falhar um jogo e por cada um fazia sempre 600km.

A dor causada pela golpada e pela prepotência dos atuais dirigentes causam tristeza pela falta de amor ao Sporting.

J'aime

migusta04
migusta04
09 mars 2021

E eu que cresci a ver o meu pai acompanhar, como enfermeiro-massagista, as modalidades, como não apreciar o que foi feito pelo Presidente Bruno de Carvalho?! Claro, que em todos os sócios, haverá quem goste só de futebol ou gente como eu que vibro com as modalidades. Que não consigam acabar com elas!

J'aime

Fernando Carneiro
Fernando Carneiro
01 mars 2021

Uma palavra: FABULOSO. Uma saudação: OBRIGADO.

J'aime

chicoperes77
chicoperes77
28 févr. 2021

Que dizer de um texto destes? Que é fabuloso? È! Mas é muito mais que isso. É um compêndio da vida ecléctica do enorme Sporting Clube de Portugal. Tantos/as heróis/as, tantas recordações e tanta realidade do que deve continuar a ser o clube que tanto amamos, e pelo qual tantas lágrimas derramamos. Mas a escumalha fanática da bola querem acabar com todas estas modalidades que tantas alegrias nos deram, e dão por enquanto. Olvidar tudo isto é além de lamentável um acto crimionoso! Mas como disse Pascal: a euforía ofusca o cérebro e torna a ralé idiota! E idiotas cegos pela bola infelizmente não faltam no Sporting. e não generalizando, são aqueles dos muitos votos, os Velhos do Restelo, os…

J'aime

Jorge Fino
Jorge Fino
28 févr. 2021

Muito bom texto! Custa-me acreditar que existam alegados sportinguistas que não pensem assim, que não sintam o clube assim. SL

J'aime
bottom of page